Parcelamento Especial - Simples Nacional



12/12/2016




Foram publicadas no Diário Oficial da União de hoje a Resolução CGSN nº 132/2016 e a Instrução Normativa RFB nº 1677/2016,que regulamentam o parcelamento de débitos do Simples Nacional previsto no art. 9º da Lei Complementar nº 155, de 27/10/2016.

A Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional (PGFN) também editou a Portaria PGFN nº 1.110/2016 regulamentando o parcelamento de débitos do Simples Nacional inscritos em Dívida Ativa da União.

A partir de hoje, os contribuintes optantes pelo Regime e que tenham débitos com a Receita Federal relativos a competências até maio de 2016 poderão optar pelo parcelamento da dívida em até 120 meses, com prestação mínima de R$ 300,00.

A opção pelo parcelamento abrange a totalidade dos débitos exigíveis e implica desistência compulsória dos parcelamentos em curso.

Para incluir no parcelamento os débitos que estão em discussão administrativa ou judicial, o contribuinte deverá comparecer à unidade da Receita Federal de seu domicílio tributário e apresentar desistência da discussão administrativa ou cópia da petição de desistência da ação judicial.

A primeira parcela deverá ser paga, em regra, até dois dias após o pedido ou até o último dia útil do mês, o que for menor.

O pedido de parcelamento deverá ser apresentado até as 20h (vinte horas), horário de Brasília, do dia 10 de março de 2017, exclusivamente por meio do sítio da RFB na Internet, nos Portais e-CAC ou Simples Nacional.

As demais regras sobre o parcelamento no âmbito da Receita Federal e da PGFN poderão ser conferidas na Instrução Normativa RFB nº 1677/2016, na Portaria PGFN 1.110/2016 e no Portal do Simples Nacional.

*Obs. Apenas débitos de imposto DAS vencidos até 05/2016 é que podem ser parcelados nesta modalidade.
Atenciosamente - Equipe Terceirização Contábil Assessoria e Contabilidade.



Deixar de pagar imposto declarado não é crime fiscal, é inadimplência, decide STJ
Optantes pelo Simples Nacional podem aderir ao Parcelamento Especial de débitos (PERT)
A Partir de Julho Todas as Empresas Com Funcionários Estarão Obrigadas ao eSocial
Psicólogo, será que você deve abrir uma empresa (CNPJ)?
Autorizada cobrança de contribuição sindical mesmo após reforma trabalhista


Mídia Marketing - 2013
Setor de Programação